Desafio das 52 semanas: uma ferramenta para criar o hábito de ler em francês

Aproveite a onda dos desafios para criar o hábito de ler em francês.

Leitura e café

(freepik)

Sumário:

  1. Como aprender uma língua estrangeira de maneira definitiva?

    • A escuta

    • A leitura

    • Objetivo: comunicação

    • Por que privilegiar a leitura?

  2. Como adquirir o hábito da leitura

    • O que é o desafio das 52 semanas?

    • Como usar o desafio das 52 semanas no aprendizado de uma língua?

    • Por onde eu começo?”

    • Posso ler material diferente: jornais, revistas, posts?”

  3. Considerações finais


Como aprender uma língua estrangeira de maneira definitiva?

Existe uma maneira para aprender uma língua estrangeira de forma definitiva, não esquecendo o que se aprendeu e minimizando os erros?

Certamente! E ela se apoia em um tripé:

  • Primeiro, você precisa entender o que está estudando (através de uma aula, da leitura de um livro, de uma pesquisa na internet…);

  • Depois, você faz um treinamento por meio de exercícios escritos e orais, para tirar quaisquer dúvidas e começar a fixar o que aprendeu;

  • E, por fim – e esta é a parte mais importante –, você fixa o que aprendeu lendo e ouvindo material de boa qualidade, com frequência.

Não dá para aprender uma língua estrangeira apenas frequentando aulas, lendo/ouvindo teorias e fazendo exercícios e atividades. Você precisa ler e ouvir regularmente a língua que estuda em situações próximas da vida real. Para sempre. Caso contrário, esse aprendizado vai se perdendo.

Quanto mais avançado você está no estudo dessa língua, mais essa perda será lenta. No entanto, a situação inversa também é verdadeira: se você for iniciante e precisar interromper seu curso por alguns meses (esperando formar uma nova turma, por exemplo), vai perder rapidamente tudo o que aprendeu.

E como evitar isso? Lendo e ouvindo material diferente do que você usa para estudar. Esqueça os métodos! Essa mudança tornará seus estudos até mais interessantes.

A escuta

Você vai me perguntar: “Posso ouvir jornais, podcasts?”. Sem dúvida, mas não é a melhor opção para um estudante que quer adquirir vocabulário e fixar estruturas, um aluno iniciante ou intermediário, por exemplo. Prefira novelas e séries, pois elas têm um vocabulário recorrente e próximo do cotidiano. E se você tiver que colocar a legenda em português para conseguir acompanhar a estória, saiba que não há mal algum nisso! Mais para frente, você poderá ouvir sem as legendas.

Já como complemento, ou seja além das novelas e séries, você pode ouvir, sim, jornais e podcasts. E, seja qual for o material que escolher, que ele seja sempre interessante para você, relacionado com sua vida pessoal ou profissional, ou sobre um assunto que lhe interessa e que você quer aprofundar. Primeiramente, para ser realmente útil para você, se encaixar na sua vida; em segundo lugar, para manter o seu interesse. Caso contrário, você pode acabar abandonando essa atividade em pouco tempo.

A leitura

Quanto à leitura, sempre ouço uma pergunta semelhante: “Posso ler jornais e posts?”, e de novo respondo: pode, mas não é a melhor opção. Prefira livros do tipo Textes en français facile (CLE; Hachette).
“Ah, mas esses livros são fáceis demais para mim!” Sim, eu imagino que seja fácil demais para você entender esse tipo de leitura, mas seria fácil também para você usar todo esse vocabulário, essas estruturas gramaticais para escrever ou falar, seja contando a estória a um colega, seja em uma situação real? Você se lembraria do significado dessas palavras se vistas em um contexto diferente?

Entender não é saber, lembre-se disso.

E, assim como no caso da escuta, você pode se aventurar por aí, lendo qualquer coisa, mas apenas como atividade extra. A sua atividade principal, a leitura de um livro mais simples, por exemplo, deve ter um vocabulário um pouco mais difícil que o do seu nível, para que você tenha um ganho, mas também não pode ser difícil demais, para não desestimular.

Aliás, se o texto ou o áudio/vídeo for muito complexo, você não vai conseguir reter muita coisa.

O progresso chega por etapas; querendo apressar as coisas, você só o retarda.

Objetivo: comunicação

Seguindo essas dicas você progride em direção a uma comunicação efetiva, que é, justamente, o que a maioria dos alunos de língua estrangeira deseja. Se comunicar é, por exemplo, participar de um diálogo, escrever uma mensagem, enfim, interagir com outras pessoas, em contextos informais ou profissionais. Para isso, é preciso que um mínimo de vocabulário e regras (sim, regras) tenha sido assimilado e esteja disponível na sua memória.
Um comentário quanto às regras: elas são necessárias enquanto se está aprendendo e durante a fase de treinamento; depois disso você pode “esquecê-las” ou ignorá-las, e ficar apenas com a habilidade de comunicação que elas proporcionam.
Exatamente como aconteceu com o português. Imagino que você saiba usar ou reconhecer essas palavrinhas: mas, entretanto, todavia, contudo. Porém já se esqueceu que elas se chamam adversativas. Isso importa? Não.
Não tenha medo das regras, tampouco desprezo, pois elas são um passo necessário que facilita e, por isso mesmo, agiliza o seu progresso nos estudos.

As regras são suas aliadas, não adversárias.

Por que privilegiar a leitura?

O tempo é um fator determinante para que você assimile informações. Na leitura, você tem tempo para raciocinar e compreender o que as palavras significam naquele contexto, pode checar o significado de uma mesma palavra usada anteriormente no texto, pode usar um dicionário, quer dizer, você dispõe de tempo para aprender .

Já na escuta, pode acontecer de você chegar apenas a uma compreensão global. Nesse caso, você pode até aumentar sua habilidade passiva de escuta, mas nem por isso vai melhorar sua expressão oral.

Se o seu objetivo é progredir no estudo de uma língua, vá nessa ordem: dedique-se primeiro (ou principalmente) à leitura e, depois, à escuta.

Como adquirir o hábito da leitura

Hábitos são difíceis de adquirir e difíceis de perder. A melhor maneira de lidar com eles é “instalá-los” ou “desinstalá-los” aos poucos, pois nossa mente tem horror a mudanças bruscas. Por isso, sugiro que você use uma técnica que atualmente é muito popular na internet: o desafio.

O que é o desafio das 52 semanas?

O desafio das 52 semanas é bem conhecido por quem se interessa por finanças. Seu objetivo principal é o de criar o hábito de poupar. E qual foi a sacada de gênio da americana Kassondra Perry-Moreland1, que o criou? Ela começou poupando devagar, suavemente, com um dólar, e se programou para fazer isso durante um ano (52 semanas), ou seja, sem grandes sacrifícios, sem pressa, exatamente como se deve fazer para criar hábitos.

O pulo do gato estava em acrescentar um dólar à quantia a ser poupada, a cada nova semana. Dessa forma, na 52a semana (ou seja, um ano depois), ela já tinha poupado 1378 dólares e, mais importante que tudo, tinha adquirido o hábito de poupar, o que exigiu paciência e perseverança, o que, cá entre nós, não são qualidades que a gente costuma prezar muito atualmente.

Como usar o desafio das 52 semanas no aprendizado de uma língua?

E como você pode usar esse desafio para aprender uma língua? Você pode aplicá-lo em várias situações diferentes, mas o que proponho aqui é que você use esse método para adquirir o hábito da leitura. Convenhamos, isso é algo que muitos alunos deixam para amanhã ou para a semana seguinte.

Faça da mesma forma que o desafio original: crie uma tabela (em papel, em um aplicativo, ou baixe esta aqui em pdf, word, odt), e assuma o compromisso de ler um pouquinho a cada semana. Você pode começar com um parágrafo. Ao fim do desafio, você terá lido 1378 parágrafos e, espero, comprovado que a leitura realmente ajudou você a reforçar a compreensão e a expressão em francês – ou seja qual língua ou matéria que estiver estudando.

“Por onde eu começo?”

Leia um livro bem simples, como os já citados Textes en français facile. Aliás, há vários níveis de dificuldade em coleções desse tipo, e também vários títulos interessantes, uns clássicos, outros modernos.
Se você for aluno intermediário/avançado, pode ser algo como Huis-clos, de Sartre, no original (não facilitado). O francês desse livro não é complicado, embora a estória possa lhe dar problemas, se ao mesmo tempo você estiver se digladiando com o sentido das palavras. Então, não dê o passo maior que a perna, assegure-se de que a compreensão do livro está ao seu alcance.

“Posso ler material diferente: jornais, revistas, posts?”

Pode, à parte. Essas outras leituras não deveriam entrar no desafio, pois o objetivo é que você expanda seu vocabulário, e, apesar do aparente paradoxo, isso não se faz com grande variedade, mas com grande quantidade de material do seu nível. Caso queira variar, assine uma newsletter sobre um assunto de seu interesse.

Seja forte, persevere, e seu aprendizado só tem a ganhar.

Mas, se não tiver jeito, e você se decidir por ler apenas esse tipo de material, vamos admitir que é melhor que nada. Mas tente, então, se concentrar em apenas um ou dois temas, pois é a recorrência do vocabulário que vai ajudar no seu progresso.
Caso queira uma leitura mais complexa, biografias e guias (“Como aliviar a dor nas costas”) são até melhores que romances nesse caso. Só respeite uma condição: você tem que entender suficientemente o que está lendo de forma a poder contar para alguém, reutilizando pelo menos uma parte do que aprendeu. Se não conseguir fazer isso, fica claro que a leitura está difícil demais para você.

Considerações finais

“Posso ler mais que um parágrafo por semana? “ Claro! Mas nem por isso desconte esses “extras” da quantidade das semanas seguintes; se você tiver que ler 17 parágrafos em uma semana, leia 17 parágrafos – não se esqueça, é só distribuí-los ao longo de 7 dias.
Você pode ler mais que a quantidade designada, mas não menos.

Dizem que são necessários pelo menos três meses para que um hábito se instale, outras teorias dizem que é preciso menos tempo. Muito provavelmente isso deve variar de pessoa para pessoa e segundo o tipo de hábito. Então, um ano para realizar esse desafio me parece um prazo razoável, especialmente porque você já estará aprendendo e treinando a língua estrangeira durante todo esse tempo, não precisa esperar chegar ao fim para ver os resultados.

Você e seus amigos. Para tornar o desafio ainda mais estimulante, você pode juntar um grupo de amigos, escolher o mesmo livro e, então, marcar reuniões semanais via Skype (ou Zoom, ou WebEx) para discutir os parágrafos da semana. Vocês podem até usar um aplicativo como o Google Docs ou One Drive para fazer um resuminho em conjunto, e comentá-lo. Vocês estarão, dessa forma, reforçando ainda mais tudo o que viram, e treinando as quatro habilidades: leitura/escuta, escrita/fala.

Je vous souhaite bon courage et bonne chance !

Se quiser se aprofundar no estudo do francês, este é o endereço: FrancêsMais.
Se quiser ficar por dentro da atualidade francesa, veja o site FrançaMais.

1 Se você se interessou pelo desafio das 52 semanas financeiro, pode aprender mais vendo estes vídeos: Patricia Lages (6 minutos, com links para planilhas) e Mulheres (vídeo mais detalhado; 15 minutos), ou ler este texto, em que a autora do desafio é citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s